FUTUROS SEQUESTRADOS X O ANTI-SEQUESTRO DOS SONHOS na casa de Suely Farhi – Rio de Janeiro

sonhos-suely

Curso organizado por in}ventos – suely farhi e Carla Strachmann

Executado por Fabiane M. Borges

Sonhadoras: Balbi, Dinah Cesare, Gabriela Carneiro da Cunha, Suely Farhi, Martha Niklaus, Geni Viegas, Maria Moreira, Lia do Rio.

Para conhecer o processo do curso – aqui:

Fotos:

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=bz0zCmAXUMs

Áudios: https://archive.org/download/vozessonhoscasasuelyfahri

DO CURSO

Davi Kopenawa em seu livro “A Queda do Céu” diz que os brancos (não índios, comprometidos com a modernidade, espírito colonizador) não sabem sonhar, pois só sonham consigo mesmos e com suas mercadorias. Nesse livro ele coloca os sonhos (corpo de fantasma) como uma reserva, como uma floresta, que nativa ou reflorestada ainda concentra uma enorme diversidade de existências, que ainda não foram destruídas inteiramente pela Xawara (a entidade maléfica do metal). Preservar as florestas e os sonhos é então uma ação de resistência contra a devastação da Terra e da ligação profunda entre humano e Terra, que é uma das potências do sonho, quando se sabe sonhar para além de si mesmo, ou seja, sonhar cosmicamente, terraqueamente, sonhar os sonhos do planeta em que vivemos.

Nessa nova idade da Terra – Antropoceno – , quando o biocontrole está em pleno vapor e os humanos se percebem como uma força geológica, plantar e sonhar (reconectar com a Terra) parece ser de uma importância cabal, que nos ajuda a pensar alternativas para esse rolo compressor do desenvolvimento a qualquer custo, e nos ajuda principalmente a reinventar nossos futuros sequestrados pelas promessas de futuro da modernidade. Sendo assim, esse curso é uma pequena pausa para construir ações anti-sequestro do futuro e do sonhar. É um curso experimental fundamentado em práticas e teorias de Arte (invenção) e Clínica (subjetividade).
O curso tem base teórica, prática e técnica e dependendo da organização da turma pode ser repetido e aprofundado.

Das Linguagens:

1- Da Arte de Sonhar: Anotar os sonhos (ainda com uma semana de antecedência do começo do curso), contar os sonhos, trocar de sonhos, processo de ficcionalização, desenvolvimento de escrita coletiva de caráter transnarrativo, desenvolvimento de personagens, ambientes, contextos. Interescrituras, produção cosmogônica, mítica, metafísica, ontologias diversas, tratados, escritas de associação livre baseados nos sonhos de si e dos outros.

2- Linguagens performativas: Uso de técnicas de corpo, improvisação de cena, construção de ações individuais e coletivas a partir de estudos trans-oníricos, construção experimental de linguagem expressiva, ritualização, gestualização, estados de presença, entre outros.

3- Ruidocracia: Uso de técnicas de linguagem sonora, produção de ruído (digital e analógico), vocalização, improvisação narrativa, construção de estados coletivos de escuta. O entendimento do ruido como ruptura da comunicação baseada na inteligibilidade: emissão-redundância-recepção.

4- Clínica: Esquizodrama, dinâmicas de grupo, técnicas de escuta, associação livre, problematização de questões levantadas pelo grupo, auto-conhecimento, o intelecto e o inconsciente coletivo, técnicas de concentração, produção imaginária, fabulação, aprofundamento de linguagens expressivas, relação com o futuro.

5- Communitas: Convivência coletiva, discussões, falação, rodas de conversa, tarefas práticas, comunicação intensiva, partilhamento de processos cotidianos (alimentação, lixo, etc), resolução de problemas, insights, ideias, construção de comunicação onírica, etc.

6- Da Arte de Plantar: Plantação de uma árvore (ou mais) em um espaço urbano próximo ao curso.

Do Material Teórico:

Serão trabalhados conceitos como hiperstição, aceleracionismo, pós-humanismo, transhumanismo, ciborguezia, filosoficção, filo-ficção, transnarrativa, interescritura, tecnomagia, metafísica da lata de lixo de Estamira, antropoceno, animismo, subjetividade da matéria, tecnologias do it yourself, multidões queer, imaginação e ficcionalização, astrofuturismo, tecnoprimitivismo de Oswald de Andrade, etc.

Bibliografia sugerida:

A Arte do Sonhar”, Carlos Castañeda
·“A Queda do Céu – Palavras de um Xamã Yanomami” – Davi Kopenawa e Bruce Albert
·“Antes o Mundo não existia” Mitologia dos antigos Desana-Kehíripõrã” – Umusi Pãrõkumu (Firmiano Arantes Lana) e Tõrãmú Kehíri (Luiz Gomes Lana). Ed. ed. — São João Batista do Rio Tiquié : UNIRT ; São Gabriel da Cachoeira : FOIRN, 1995. (Coleção Narradores Indígenas do Rio Negro).
·“Devires Totêmicos – Cosmopolíticas dos Sonhos” – Barbara Glowczewski
·“Comunidade dos Espectros – I. Antropotecnia” – Fabián Ludueña Romandini
·“Três Ecologias” – Félix Guattari – Ed. Papiros – 1990
·“Metafísicas Canibais” – Eduardo Viveiros de Castro – Ed. Cosac Naify – 2015
·“Há Mundo Por Vir?: Ensaio Sobre os Medos e os Fins” – Debora Danowski e Eduardo Viveiros de Castro – Ed. Instituto Sócio-Ambiental – 2015
·Tecnoxamanismo – Texto “Ancestrofuturismo” (online) Org. Fabiane M. Borges. Ed. Invisíveis Produções. São Paulo, 2016

R$300,0 pelo fim de semana incluindo o Almoço com cozinha compartilhada.

Suely Farhi – In}ventos
R. Tavares Bastos 21 casa 16 Catete
97845086 21479725

Advertisements

ANCESTERFUTURISM SEMINAL THOUGHTS ABOUT TECHNOSHAMANISM

T A L K 
 
FABIANE M. BORGES ◆ 5 OCTOBER 2016 ◆ 6 PM
 
ANCESTERFUTURISM
SEMINAL THOUGHTS ABOUT TECHNOSHAMANISM
 “Where can we locate our ‚ancestrality’? Merely in the past, or also in our future? What are the ‚hyperstitions’ related to technoshamanism? What if dreams could be thought of as an untouched interstitial space? Could dreams help us to escape the Anthropocene? Hands and dreams on the Earth. What can ancient communities teach us about survival technologies?“ 
 
These are some questions that will guide a conversation around ancesterfuturism and technoshamanism. 
 
 FABIANE M. BORGES is a Brazilian artist, clinical psychologist and essayist based in Rio de Janeiro. She’s one of the articulators of the technoshamanism network and is currently co-organizing the II International Festival of Technoshamanism in Brazil. Her research is about Space-art, art, technology, shamanism, performance and subjectivity. Borges’ work can be denoted as an ‚immersive process‘ or ‚frontier experience‘, since her aim is to provoke deep bodily and perceptional experiences. She authored two books Domínios do Demasiado (Hucitec, 2010) and Breviário de Pornografia Esquizotrans (Ex Libris, 2010) and coordinated two other books with the media, art and technology network Submidialogia (Ideias Perigozas, 2010, and Peixe Morto, 2011). 

Toni Areal, 3. Floor, Room 3.E08

Hosted by BA Media & Art
 ☞ save the date:
THURSDAY OCTOBER 6, 7pm – midnight
THE WHO OF THINGS. An Evening of Technoshamanism 
kadija

Futuros sequestrados x o Anti-sequestro dos sonhos, Rio De Janeiro, 2016  © Rafael Frazão

 
Zürcher Hochschule der Künste
Zurich University of the Arts
Melanie Matthieu
Teaching Assistant
Bachelor of Arts in Art & Media
Zurich University of the Arts, Toni-Areal, Pfingstweidstrasse 96, P.O. Box, CH-8031 Zurich

Futuros sequestrados x o Anti-sequestro dos sonhos

Compartilhando o processo de trabalho feito durante a
“Imersão no Capacete”, que foi do dia 24 de maio a 02 de junho/2016)

Quarta feira – 01/06/2016 – 19:30 – Escola Capacete – Beijamim Constant 131 – Glória

Como criar tratamentos clínicos e estéticos atuais que ajudem a enfrentar a lama tóxica, o imaginário carbônico, as enchentes e as secas do clima e do pensamento?

Pensamos na engenharia do futuro: a geo-engenharia e a engenharia do corpo. No devir criador para fugir do modelo fracassado de civilização e sua rota apocalíptica. Na urgência da metareciclagem no campo das ficções. E na produção de cosmogonias livres.

Quizemos criar dispositivos de resistência ao sequestro do futuro, assim como fortalecer o imaginário e os sonhos.

A imersão começou no dia 24 de maio. Teve como uma das suas funções potencializar o universo onírico de seus participantes, mixá-lo, tirá-lo de qualquer autoria, devolvê-lo para o campo da experiência, afim torná-lo plataforma de lançamento de um processo coletivo de produção de ficções e imaginários.

Como é impossível finalizar um processo desse tipo, optamos por compartilhá-lo em seu atual estágio, afim de ampliar o campo de experiência dos participantes, ao abri-lo para o público. É uma cerimônia de finalização do curso, mas não do processo, que esperamos que seja continuado.

Para quem não sabe do que se trata, aqui foi a chamada:

Português: http://capacete.org/?p=1950

Inglês: http://capacete.org/?p=1966&lang=en

 

Para poder entrar no Capacete nessa quarta dia 1 é preciso que cada pessoa traga dois sacos de sal grosso.

Organização: Fabiane M. Borges e Leandro Nerefuh

Equipe: Giseli vasconcelos (Produção), Marcelo Marssares (som), Paola Barreto (espectrômetros), Peter Pál Pelbárt (consultoria) e Rafael Frazão (imagens).

Construção do working process (anti-sequestro dos sonhos): Franciele Castilho, Julia Lameiras, Mariana Kaufman, Raisa Inocêncio, Sue Nhamandu, Oliver Bulas, Mariana Marques, Anna Costa E Silva, Luisa Marques, Thelma Vilas Boas, Cecilia Cavalieri, Rodrigo Krul, Patricia Chiavazzoli, Livia Valle, Kadija de Paula, Caetano EhMaacumba, Ian Erickson-Kery, Aurélia Defrance, SoJin Chun, Julia Retz, Camilla Rocha Campos

 

Fotos: Rafael Frazão

 

IMERSÃO NO CAPACETE

CURSO IMERSIVO DE 10 DIAS – Arte/Clinica/Imersão na ESCOLA CAPACETE, RIO DE JANEIRO (Beijamim Constant 131)

Screen-Shot-2016-02-15-at-5.25.23-PM

Curso inteiro em pdf –  português: http://capacete.org/?p=1950

                                               inglês: http://capacete.org/?p=1966&lang=en

Do dia 20 a 30 de maio/2016

CURSO IMERSIVO DE 10 DIAS

Do dia 20 ao dia 30 de maio haverá uma imersão na Escola CAPACETE/RIO. São 10 dias de Arte/Clínica, com a construção de um working process. A partir de linguagens artísticas (performance), linguagens musicais (ruído), linguagem tecnológica (espectro), linguagem clínica (esquizoanálise), Linguagem de cinema (live-cinema) criaremos uma ação estética que será mostrada no final dos 10 dias.

Todos elementos (um sonho, assovio ou qualquer expressão espontânea serão utilizados para a criação dessa obra/process.

A apresentação final será feita na Escola Capacete e aberto ao público.

EQUIPE:

Peter Pál Pelbárt, Fabiane M. Borges, Leandro Nerefuh,

Giseli Vasconcelos, Paola Barreto, Rafael Frazão, Marcelo Marssares

Mais infos: http://capacete.org/?p=1950

Inscrição única R$ 500,00

Inscrição/Dúvidas – email: imersaocapacete@gmail.com

Curso de Tecnoxamanismo no Pontão da ECO

Começa dia 20 de novembro o curso de Tecnoxamanismo no Pontão da ECO –

Curso que trata de tecnomagia a partir de processos imersivos, dinâmicas grupais, técnicas corporais, especulações ontológicas, escapismos metafísicos, culturas tradicionais. O curso vale como Extensão Universitária e os participantes ganharão diploma da UFRJ.

Pretende-se no final do curso organizar uma cartilha de técnicas desenvolvidas e criadas durante o processo.

Eventos, ações e intervenções coletivas com os participantes poderão ser construidas no decorrer das oficinas.

Curso da psicóloga Fabiane Borges com apoio e intervenções do Grupo Raizes Históricas Indígenas

Início 20 de novembro de 2012

Terças feiras das 10 as 12 horas no Pontão da Eco – Campus Praia Vermelha

Informações: catadores@gmail.com / 21 – 80838029